domingo, 15 de setembro de 2013

(sem título)


O tecto da casa ruiu. Vêem-se tábuas e teias de aranha.
Despreocupadamente, a rãzinha pula no charco. Engole um moscardo.
A vida segue sem interrupção.


Sem comentários: