domingo, 23 de dezembro de 2012

bosque


íamos na serra e pisávamos as ervas
as nuvens corriam com as horas e nós contornávamos as pedras
silenciosas as flores, as árvores orando aos céus
bebíamos do rio e guardávamos folhas nos bolsos lavados

os nossos dedos tocavam o rosto das plantas e o das rochas
arrastávamos connosco o caminho que atravessávamos
saboreávamos as bagas adocicadas que se nos ofereciam à passagem
o nosso sangue percorria-nos inebriado de bosque

era a seiva das árvores
era a água do rio
era o perfume das flores
era a natureza em desafio
éramos nós


1 comentário:

Leda Dylluan disse...

A vida é tão bela e espontânea. A magia existe e está em todo o lado. Os humanos destroem-na.
A vida não é humana.